sexta-feira, 21 de agosto de 2009

FICÇÃO OU REALIDADE? – CAP. 9

CASAL PERFEITO DEMAIS

José e Ângela já estavam casados havia quase 30 anos. Durante todo esse tempo, inclusive quando eram só namorados e depois noivos, nenhuma briga, nenhuma discussão, nenhuma rusga. Nada.

Os dois se amavam muito e se respeitavam ainda mais. O sexo entre eles era ardente e constante nestes quase 30 anos de casados.

Nunca aconteceu de José ou Ângela sentirem ciúme um do outro. Também, nenhum dos dois dava motivo para o outro sentir isso.

Em quase 30 anos de casados, eles sempre fizeram as 3 refeições do dia juntos, café da manhã, almoço e jantar. Todo santo dia. Sem falhar nenhum!

Se José era convidado para um evento ou uma festa e Ângela, por algum motivo, não pudesse ir, ele não ia. Ela procedia da mesma forma.

Os vizinhos comentavam que eles eram perfeitos demais. Os fofoqueiros achavam que tudo não passava de simulação. Os parentes ficavam abismados com a coerência da convivência de José e Ângela.

Eles despertavam inveja até nos sobrinhos e nos parentes mais chegados, pois nunca ninguém havia visto um casal tão sintonizado.

Um dia, José chegou do serviço e Ângela pediu que ele fosse comprar uns pães e um pouco de frios para fazer um lanche, já que fazia calor naquela noite.

José sorriu, pegou a carteira, os documentos, beijou a esposa e saiu, dizendo que não demoraria.

Chegou na padaria e logo de cara bateu o olho na caixa operadora nova que ali estava trabalhando. Foi instantâneo. O olhar dos dois se cruzou. Foi fulminante.

José comprou os pães, um pouco de presunto e queijo e voltou para casa. Enquanto a esposa ia para a cozinha, a fim de preparar os sanduíches e algo para tomar, José correu ao quarto, pegou algumas mudas de roupa, pôs em uma maleta, recolheu algum dinheiro graúdo no cofre que tinha no quarto, desceu as escadas sem fazer barulho, saiu pela porta e nunca mais voltou.

Até hoje Ângela não sabe o que aconteceu ao marido, por mais especulações que já tenham feito sobre o sumiço dele.

0 comentários: