sexta-feira, 28 de agosto de 2009

FICÇÃO OU REALIDADE? – CAP. 10

13 PONTOS NA LOTERIA ESPORTIVA

Ronaldo estava impaciente naquele final de tarde de domingo, isso lá pela década de 70 ainda.

Segurando o cartão da Loteria Esportiva e um volante onde ele havia feito a aposta, Ronaldo só estava esperando os resultados saírem na rádio, pois ainda faltava um jogo para acabar.

Quando a rádio forneceu os resultados, Ronaldo gritou:

- Fiz os 13 pontos!!! Fiz os 13 pontos!!!

Mais que depressa, saiu à rua e gritou, novamente, para todos os vizinhos:

- Fiquei rico!!! Fiz os 13 pontos na Loteria Esportiva!!!

Projetou a voz para dentro de casa e ordenou aos filhos:

- Tragam toda essa mobília velha e estragada, aqui para a rua! Vamos fazer uma fogueira!

Os filhos tentaram convencê-lo de se acalmar e entrar em casa, mas Ronaldo estava fora do seu normal:

- E vocês, seus vizinhos de merda? Vou morar em bairro nobre, não mais nesta espelunca aqui!!! Vou me ver livre de todos vocês!!! Isso aí vale para a senhora, dona Erminda, fofoqueira do inferno!!! Vale pro senhor, seu Gaspar, mão-de-vaca, explorador!!!

Como os filhos não traziam nada para a rua, o próprio Ronaldo se encarregou de pegar um sofá, uma poltrona, a mesa da sala e levar para o meio da rua. Jogou álcool por cima de tudo e ateou fogo.

Vendo a fogueira, Ronaldo continuava gritando, ofendendo todos os vizinhos. Alguns saíram à janela para ver o que estava acontecendo; outros, é claro, nem apareceram, pois Ronaldo era tido ali na vizinhança como um homem ranzinza, temperamental e nervoso.

Ronaldo, ainda não satisfeito, entrou na casa e, de lá de dentro, ainda trouxe algumas cadeiras, alguns colchões e partes de uma cama. Jogou tudo na fogueira.

A polícia foi chamada e Ronaldo acabou sendo detido e conduzido à delegacia do bairro.

Ali, foi autuado pelo delegado, por diversos motivos que não interessam agora, e voltou para casa só no dia seguinte de manhãzinha, bem na hora que o jornaleiro estava pendurando os jornais na sua banca. Um deles dizia que a Loteria Esportiva havia pago o menor prêmio de sua história, pois foram milhares de acertadores. O prêmio a que Ronaldo tinha direito talvez desse para comprar uma das cadeiras que ele lançou na fogueira na noite anterior…

1 comentários:

DAS disse...

Bem feito!
Ele mereceu!

Abraços!
dani