domingo, 24 de maio de 2009

O poder maligno da fofoca

Existe uma história muito famosa a respeito da fofoca. Procurei em vários sites e encontrei uma curtinha. Adaptei-a ao meu modo de escrever e aqui está ela. Leia com atenção e depois reflita.

Um homem já vinha há muito tempo acusando seu vizinho de ser traficante de drogas. Tanto falou que a polícia acabou recebendo uma denúncia anônima, foi lá e prendeu o suposto traficante. Só que o pobre coitado não era traficante coisa nenhuma. Isso foi descoberto dias depois.

Passado algum tempo, esse homem, que havia sido preso injustamente, descobriu quem estava fazendo fofocas a seu respeito e decidiu processar o vizinho fofoqueiro.

No dia do julgamento, meses depois, o juiz disse ao vizinho fofoqueiro:

- Tenho provas de que o senhor é um homem de má índole. Seus vizinhos testemunharam, dizendo que o senhor fala mal de toda a vizinhança. Então, por enquanto faça isto que eu vou lhe ordenar: escreva todas as fofocas que você já fez sobre seus vizinhos, em uma folha de papel, e depois pique-a em pedaços bem pequenos. Em seguida, saia à rua e jogue esses pedaços para o ar. Amanhã, antes de voltar aqui para ouvir sua sentença, recolha cada pedacinho de papel e traga-os todos para mim!

O vizinho fofoqueiro ficou abismado:

- Mas, excelência, isso é impossível, pois o vento, certamente, irá espalhar os pedacinhos de papel e eu não terei como recolher todos!

O juiz olhou fixamente para o réu e disse:

- É a mesma coisa que as suas fofocas. Da mesma maneira que uma fofoca pode arruinar a vida de um homem, a ponto de lhe causar um estrago na vida, aí já é tarde demais para consertar esse mal. Se não tem nada de positivo para falar das pessoas, aconselho o senhor a ficar calado, senão, da próxima vez, eu vou mandar prendê-lo por difamação, calúnia e injúria.

O fofoqueiro baixou a cabeça, aguardou o sinal do juiz para sair da sala e, a partir desse dia, nunca mais falou mal de ninguém, e todos os vizinhos passaram a viver felizes.

8 comentários:

Rogerio Martins disse...

Bela adaptação da história. Realmente quem pensa ou fala maldades sobre outras pessoas espalha aquilo que não gostaria que fizessem consigo.

Aprendi que antes de falar algo de alguém veja se é verdade, se irá trazer algum benefício para os envolvidos. Com isso, tenho ficado mais calado do que falando sobre pessoas.

Abraço

Rogerio Martins -
http://palestranterogeriomartins.blogspot.com/

Bronca no Trombone disse...

Obrigado pela visita ao meu blog e pelo comentário. Realmente, amigo, nós temos dois ouvidos e uma boca para ouvirmos mais e falarmos menos. Mas tem gente que eu conheço, e conheci ao longo da minha vida, que tem o prazer mórbido de afundar os outros, principalmente pessoas do bem. Por que será que isso acontece com tanta freqüência? Aqui mesmo, onde moro, tenho um vizinho que sabe da vida de todo o mundo da rua. Se eu espirrar agora, é capaz de ele, amanhã, perguntar se eu estou resfriado...

Abraços,

André

EAD/JOYCE disse...

Muito boa, adorei a sentença. Realmente, a fofoca é uma coisa cruel.

Bronca no Trombone disse...

Joyce,

Obrigado pela visita e pelo comentário. Essa história eu conhecia de outra maneira, mas resolvi dar uma editada, para diferenciá-la das versões já existentes. Fico feliz por você ter gostado do desfecho.

Beijos!

André

saudepelasplantas disse...

As palavras não retornam, principalmente as más. Fofocar é mesmo um péssimo hábito. Muito bom o post.

Bronca no Trombone disse...

Obrigado pela visita e pelo comentário.
A fofoca é como a pedra: uma vez lançada não tem como retorná-la. Só que o estrago feito pela pedra é infinitas vezes menor que o da fofoca.
Abraços,

André

Sissym disse...

Se todos os juizes fossem sábios como este, o mundo seria mais justo.
Uma pena que tamanha corrupção os cega e impedem de fazer o certo.
Quanto a fofoca maliciosa, eu sei o que é isso... é algo que pode realmente acabar com uma vida.

Bronca no Trombone disse...

Aqui, na "terrinha" onde me "enterrei", tem uma figura que é o repórter da rua. Se eu bocejar aqui, é bem capaz de ele amanhã comentar...
Como eu odeio fofoca! E em homem então é pior ainda!

Obrigado por mais este comentário e por estar visitando o meu blog!

Beijos!

André