sexta-feira, 1 de maio de 2009

Carta de um suicida

máquina escrever

Há anos eu conheço esta carta e toda vez que a leio não consigo conter o riso. Como já vi esta carta em diversos sites e, inclusive, em um livro sobre humor da internet, não sei para quem devo dar o crédito. Sendo assim, o primeiro que pôs esta preciosidade humorística na rede que se apresente, por favor, para que eu lhe dê o devido e MERECIDO crédito.

Morreu de Confusão

 

Foi encontrada no bolso de um suicída, em Maceió, a seguinte carta:

"Ilmo. Sr. Delegado de Polícia:

Não culpe ninguém pela minha morte. Deixei esta vida porque, um dia mais que eu vivesse, acabaria morrendo louco. Explico-lhe, Sr. Delegado: tive a desdita de casar-me com uma viúva, a qual tinha uma filha. Se eu soubesse disso, jamais teria me casado.
Meu pai, para maior desgraça, era viúvo, e quis a fatalidade que ele se enamorasse e casasse com a filha de minha mulher. Resultou daí que minha mulher tornou-se sogra de meu pai. Minha enteada ficou sendo minha mãe, e meu pai era, ao mesmo tempo, meu genro. Após algum tempo, minha filha trouxe ao mundo um menino, que veio a ser meu irmão, porém neto de minha mulher, de maneira que fiquei sendo avô de meu irmão. Com o decorrer do tempo, minha mulher também deu à luz um menino que, como irmão de minha mãe, era cunhado de meu pai e tio de seu filho, passando minha mulher a ser nora de sua própria filha.
Eu, Sr. Delegado, fiquei sendo pai de minha mãe, tornando-me irmão de meu pai e de meus filhos, e minha mulher ficou sendo minha avó, já que é mãe de minha mãe. Assim, acabei sendo avô de mim mesmo.
Portanto, Sr. Delegado, antes que a coisa se complique mais, resolvi desertar deste mundo.
Perdão, Sr. Delegado."

4 comentários:

Rafhaelbass disse...

caramba até eu fiquei confuso!! kkkkk muito bom, tadinho do cara..!!

Agora, campeão o pai dele ein!

Bronca no Trombone disse...

Sabe aqueles tipos "desmancha prazeres"? Então... quando eu morava em São Vicente (SP), imprimi esta carta e dei para os meus amigos lerem. Um deles, apenas conhecido, não riu e ainda perguntou: "Você montou o esquema para ver se tudo isso aí é verdade?". Eu respondi a ele que não me interessava saber se era ou não verdade, e sim que era engraçado e que eu havia rido muito.

Obrigado pelo comentário, amigo!

Abraços,

André

Sandra F. disse...

Aahahahahahahahahaha ri muito.
Quanta confusão...

Bronca no Trombone disse...

Sandra, essa piada me faz ter dor no abdômem toda vez que a leio... É muito bem bolada. Quisera eu conhecer o GÊNIO que criou-a...

Obrigado pelo comentário, amiga!

Beijos,

André