quinta-feira, 4 de junho de 2009

Você acredita em coincidências?

Será que existem coincidências ou tudo não passa de uma manobra do destino ou de Deus para nos dar alguma espécie de alerta ou lição?

Comigo, já aconteceram algumas poucas coincidências, coisas bobas, sem muita importância.

Mas existem histórias que, apesar de parecerem falsas, a gente percebe que, no fundo, são verdadeiras. É o que eu sinto quando leio casos envolvendo coincidências, talvez armadilhas do próprio destino.

Mas por que será que acontecem essas coisas?

CLIQUE AQUI e veja algumas histórias no mínimo intrigantes e tire você mesmo suas conlusões.

Eu li e acredito nas histórias, porque todos nós sabemos que existem muitos mistérios na vida que servem para nos mostrar que existe algo além do que a capacidade humana pode perceber.

Isso não tem nada a ver com religião ou crença. São coisas que a ciência tenta explicar até hoje e não consegue.

Uma coincidência no tempo em que eu fazia faculdade de jornalismo: na minha classe havia três alunas com os seguintes nomes: Ariana, Ariane e Ariani…

3 comentários:

Leandra disse...

Legal a matéria. Dá para acreditar, sim.

Abraços,

Leandra

das disse...

Se alguém me pergunta se acredito em coincidências - penso em minha vida e nas várias que acontecem comigo e respondo: 'Não. acredito que as coisas acontecem como resultado das nossas atitudes e decisões'.
Então se esse alguém continua: E se você resolve escolher entre duas ruas, a que encontra um amigo que há muito não via?
Então eu respondo: 'Me pergunte se eu acredito em sexto sentido ou intuição. A resposta é sim!'
Obviamente, existem casos - como essas histórias e outras que a gente desconhece - que não dá falar em sexto sentido ou intuição, né?

Beijo.
Até mais!!!

Dani

Bronca no Trombone disse...

Eu também não acredito em coincidências, mas sim em uma orquestração "lá de cima" para nos mostrar ou nos ensinar algo. É claro que existem as chamadas pequenas coincidências. Quando eu era pequeno, minha mãe estava limpando a casa e o rádio estava ligado. Ela me perguntou as horas, porque eu estava perto do relógio. Mal ela perguntou, o locutor da rádio disse a hora...
Recentemente, estava esperando para ser atendido na acupuntura e a secretária do médico perguntou se eu não podia ir para ela até ali perto comprar copinhos descartáveis. Era noite. Fui e lá encontrei uma amiga que não via há um tempão. Coincidência? Tenho certeza que não.

Obrigado pela visita e pelo comentário!

Beijos!

André